[Resenha] Passarinha - Kathryn Erskine

em 12 de jul. de 2021


Título: Passarinha
Autor: Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Ano: 2013
Páginas: 224
CompreAmazon
Classificação: ✮✮✮✮✮
Sinopse: No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso, mas belo. Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

     Caitlin tem apenas onze anos, mas enfrenta a pior perda da sua vida. Em um brutal atentado, seu irmão mais velho Devon está entre as vítimas. E agora junto com seu pai, ela irá ter que aprender a lidar diariamente com a falta que seu melhor amigo faz. Acontece que Caitlin tem um pouco de dificuldade para fazer amigos, e era Devon que lhe explicava como o mundo funcionava.

    Caitlin também odeia que invadam seu espaço pessoal, sem contar que não gosta de fazer contato visual. Para a jovem que ama desenhar, tudo é preto e branco, pois para ela as cores lhe dão uma sensação horrível. Ela não poupa suas palavras e diz tudo que está pensando, mesmo que isso soe de uma forma rude para os outros. Caitlin tem Síndrome de Asperger, uma forma leve do espectro autista, o que a leva a ser um pouco desajeitada em suas interações sociais.

   Uma de suas atividades favoritas, além de desenhar, é ler o dicionário. E é assim que ela descobre uma palavra que pode mudar tudo: desfecho. Então ela descobre que o quê ela e o pai precisam é exatamente essa palavra, mas ninguém sabe explicar como se chega a um desfecho. E nada irá impedir Caitlin de descobrir como alcançar esse encerramento.


    Esse foi um livro que eu achei no Kindle Unlimited, e como queria uma leitura curta, ele foi o escolhido. E foi um achado maravilhoso, pois o livro é tremendamente encantador e me ganhou da primeira à última página e ainda se tornou um dos meus favoritos.

   Caitlin possui a síndrome de Asperger, que é uma forma mais branda de autismo. Dessa maneira, podemos enquadrar a Síndrome de Asperger como sendo um Transtorno Global de Desenvolvimento (TGD) que afeta, especialmente, as capacidades de se socializar e se comunicar do paciente. A consequência é uma dificuldade de a pessoa interagir socialmente e de se relacionar com os demais. É importante destacar que os portadores dessa síndrome não sofrem nenhum atraso cognitivo ou de desenvolvimento da fala, apesar disso, muitas vezes devido aos estereótipos e os padrões de comportamentos cruéis impostos pela sociedade, são consideradas pessoas estranhas. (Retirado do site Psicologia Viva).

    Passarinha é narrado por Caitlin, e assim podemos enxergar o mundo através dos seus olhos, e, como ela possui um interesse maior em saber sobre todas as coisas a sua volta, acaba enxergando um mundo que a maioria de nós não percebemos. Além de perder o irmão, ela sofre na escola e não tem amigos, mas tem uma empatia enorme pelos outros e mesmo ao seu modo quer ajudar a todos.

    A autora criou metáforas e simbolismos que enriqueceram ainda mais a leitura, sendo bem esclarecidos durante a trama. É um enredo que trata de amor, amizade, luto, perda e recomeços, e com uma criança como narradora, o que torna tudo mais ingênuo e com um toque da engraçada pureza infantil.

É uma obra que eu poderia ler mil vezes, e em todas meu coração sairia quentinho. E mesmo sendo uma leitura rápida, carrega uma importância enorme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo