[Resenha] Fábrica de Vespas - Iain Banks

em 8 de jan. de 2021

Título: Fábrica de Vespas
Autor: Iain Banks
Editora: Darkside Books
Ano: 2016
Páginas: 240
Compre: Amazon
Classificação: 
Sinopse:  Frank – um garoto de 16 anos bastante incomum – vive com seu pai em um vilarejo afastado, em uma ilha escocesa. A vida deles, para dizer o mínimo, não é nada convencional. A mãe de Frank os abandonou anos atrás; Eric, seu irmão mais velho, está confinado em um hospital psiquiátrico; e seu pai é um excêntrico sem tamanho. Para aliviar suas angústias e frustrações, Frank começa a praticar estranhos atos de violência, criando bizarros rituais diários onde encontra algum alívio e consolo. Suas únicas tentativas de contato com o mundo exterior são Jamie, seu amigo anão, com quem bebe no pub local, e os animais que persegue ao redor da ilha. 
Abandonado à própria sorte para observar a natureza e inventar sua própria teologia – a maneira do Robinson Crusoé de Daniel Defoe –, Frank desconhece a escola e o serviço social, já que seu pai acredita na educação “natural”, recomendada pelo filósofo do século XVIII Jean-Jacques Rousseau e apresentada em seu romance Emílio, ou Da Educação (1762), que sugere que as crianças devem crescer entre as belezas da natureza, permitindo que elas se deleitem com a flora e a fauna. A natureza humana seria boa a princípio, mas corrompida pela civilização. Quando descobre que Eric fugiu do hospital, Frank tem que preparar o terreno para o inevitável retorno de seu irmão – um acontecimento que implode os mistérios do passado e vai mudar a vida de Frank por completo.  
       O livro é narrado em primeira pessoa por Frank, um adolescente inteligente que mora isolado em uma ilha com seu pai. Mas há́ um detalhe que ninguém sabe: ele é um psicopata em formação. Adora beber até́ cair nos pubs, torturar animais indefesos e construir armadilhas em torno da sua ilha. Frank nunca frequentou a escola, não tem carteira de identidade e nenhum registro que conte sua história, ou seja, para o mundo ele não existe.


      Esse foi um livro que eu li super rápido, ele tem 233 páginas e fiquei bem curiosa pois era o livro de estreia de Iain Banks. É um gênero que eu adoro, porém, não foi um livro que me agradou muito. O livro é focado em narrar como funciona a mente de um psicopata em formação, suas ações e pensamentos. Não é um livro com ação ou que nos deixe apreensivo, e a única surpresa que ele fornece para leitor é a descoberta final no último capítulo.

  O autor perde metade do livro descrevendo as paisagens e os lugares onde Frank frequenta e acaba não focando em desenvolver os personagens. Apesar do plot twist que o final entrega, ficou uma trama que não fechou bem as pontas soltas e nos deixa querendo saber o que teria acontecido aos outros personagens. O autor usa um humor negro e sarcástico, e mostra como a formação de uma criança e as pessoas ao seu redor tem um peso importante na questão de quem ela ira se tornar no futuro.

    Se você não é acostumado a ler livros desse gênero, esse não é minha recomendação pois ele é para quem tem estomago. Confesso que a parte da tortura dos animais me deixou completamente desconfortável na leitura e pulei algumas partes. Bom, como já́ disse esse livro é para sabermos como funciona mente de um psicopata em formação, e se você tem essa curiosidade pode ser uma leitura interessante, caso contrário, vai ser uma leitura super maçante na qual você irá́ esperar alguma coisa acontecer e não vai sair disso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo