[Resenha] Princesa - Jean P. Sasson

em 18 de ago. de 2020

Título: Princesa
Autor: Jean Sasson
Editora: Best Seller
Ano: 1998
Páginas: 248
Compre: Amazon
Classificação: 
Sinopse: Casamento forçado, mutilações e violências sexuais, execução pública por apedrejamento ou confinamento pela família, censura, proibição de dirigir, de viajar ou mostrar o rosto - estas são apenas algumas formas de opressão com que as mulheres muçulmanas ainda são tiranizadas no Oriente Médio. Num depoimento contundente, uma autêntica princesa da Casa Real Saldita revela, sob risco de vida, a intimidade dessa terra fechada, onde o respeito aos direitos e à qualidade de vida das mulheres continua lhes sendo negado. Uma terra onde ainda imperam os homens, o sexo e o dinheiro.

    
      Hoje vamos falar sobre “Princesa” escrito por Jean P. Sasson, e que faz parte de uma trilogia que conta a história das princesas da Arábia Saudita. O livro foi escrito pela jornalista que ouviu os relatos da Princesa, chamada no livro de Sultana, cuja real identidade tem de ser preservada para não sofrer as graves consequências da lei de seu país caso fosse descoberta.



     A trama é antiga e já foi publicada por diversas editoras (vou deixar todas as capas publicadas até hoje), e apesar de ser uma leitura pesada acho que histórias reais sempre devem ser lidas porque assim a voz de quem sofre pode ser ouvida. A princesa relata como as mulheres são tratadas na Arábia Saudita, um país dominado por homens que enxergam as mulheres apenas como uma forma de reproduzir sua linhagem. As esposas são obrigadas a conviver com as diversas outras mulheres do marido, e nascimento de meninas não são celebrados pois os maridos desejam homens para darem continuidade na sua linhagem de poder. A princesa relata a diferença de como é tratada pelo pai em comparação ao irmão, que é colocado em um pedestal e tem tudo disponível a hora que quiser, enquanto ela e as irmãos não tem direito de decisão em relação a nada.


  O livro gera revolta, tristeza e muita emoção e indignação. Lá as mulheres não tem direito a opinião e devem obedecer cegamente ao marido ou seu pai, já que elas são entregues ao marido escolhido pelo pai enquanto ainda são jovens e caso algo envergonhe a família são gravemente punidas.
   Se você é sensível a esse tipo de leitura, o livro se torna um gatilho e não é recomendado. É um livro pesado, mas é uma forma que elas encontraram de serem ouvidas e terem esperanças de um futuro melhor. É uma leitura que vale a pena, e que claramente deve ser compartilhada com todas e todos. 

3 comentários:

  1. Curto muito seus posts, são muito bem criativos e interessantes.. Sempre estou aqui lendo e compartilhando com minhas amigas...

    Beijos 😘.

    Meu Blog: Maria Valentina

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Adorei ler seu post. Logo que vi a capa do livro imaginei que a leitura seria dura, pela cultura voltada ao machismo. Fiquei bem interessada em ler esse livro.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
  3. Estou adorando visitar e ler seus conteúdos, são sempre os melhores!


    Meu Blog: Inês Soares

    ResponderExcluir



Topo